BMW explica design do novo Série 1 e justifica tração dianteira

Plataforma FWD foi escolhida para tornar o modelo mais competitivo, diz a marca alemã

0 aos 100 10/06/2019 Noticias

Adeus tração traseira e carroçarias de três portas, o novo Série 1 é (muito) mais que uma nova geração e a BMW já veio a público explicar as razões para a revolução no compacto.

A responsabilidade coube ao chefe de design Domagoj Dukec, que explicou questões relacionadas com o desenho e justificou a escolha por uma plataforma de tração dianteira, em detrimento da histórica tração traseira, utilizada desde a primeira geração do modelo.

Segundo o responsável, a mudança foi necessária para tornar o compacto mais competitivo e ao mesmo tempo aproximá-lo dos principais concorrentes Mercedes-Benz Classe A e Audi A3, ambos produzidos nesta configuração.

Começando pelo design, Dukec argumentou que a dianteira foi completamente redesenhada para albergar a grelha de maiores dimensões e faróis colocados em posição mais elevada.

Nas versões M135i, a dianteira ficou também mais musculada e sincronizada com as versões M de outros modelos, enquanto na traseira as óticas em formato de L sugerem um aspecto mais agressivo.

Veja ainda:

A utilização da plataforma de tração dianteira e motores transversais permitiu enormes ganhos no espaço disponível, especialmente nos bancos traseiros. Por exemplo, o espaço para as pernas dos passageiros do banco traseiro aumentou 33 milímetros e na altura ao teto, também nos lugares posteriores, ganharam-se 19 milímetros. O acesso à bagageira é agora mais fácil e a sua capacidade subiu 20 litros para 380 litros.

Sobre a mudança de plataforma, o responsável admitiu que os clientes do segmento não estavam particularmente interessados ​​em ter um carro de tração traseira. Por isso, a BMW optou pela tração dianteira, até mesmo como forma de inclui mais tecnologia e atingir níveis de desempenho mais altos.

Contudo, o sistema de tração nas versões “M”, nomeadamente no M135i, é sempre integral, seguindo o exemplo dos rivais mais diretos, Mercedes-AMG A35 e Audi RS3.

A gama Série 1 no arranque da comercialização (último trimestre de 2019) - consumos e emissões de CO2:

BMW 118i fuel consumption combined: 5.7 – 5.0 l/100 km; CO2 emissions combined: 129 – 114 g/km

BMW M135i xDrive fuel consumption combined: 7.1 – 6.8 l/100 km; CO2emissions combined: 162 – 155 g/km

BMW 116d fuel consumption combined: 4.2 – 3.8 l/100 km; CO2 emissions combined: 110 – 100 g/km

BMW 118d fuel consumption combined: 4.4 – 4.1 l/100 km; CO2 emissions combined: 116 – 108 g/km

BMW 120d xDrive (fuel consumption combined: 4.7 – 4.5 l/100 km; CO2emissions combined: 124 – 117 g/m

Deixe o seu comentário