Turismo de Portugal não comenta cancelamento da Gaia Street Stage

Especial estava marcada para 01 de junho

0 aos 100 09/05/2019 Desporto

O Turismo de Portugal apontou que "no início da próxima semana" será tomada uma decisão sobre uma candidatura que implica o campeonato do mundo de ralis (WRC), evento no qual foi cancelada a 'Gaia Street Race'.

"O Turismo de Portugal confirma ter sido submetida uma candidatura ao Fundo de Apoio ao Turismo e Cinema - Regulamento do Incentivo a Grandes Eventos Internacionais, a qual visa um apoio ao Rali de Portugal e que terá decisão no início da próxima semana", lê-se numa resposta escrita remetida à agência Lusa.

De acordo com esta entidade, o fundo foi "criado excecionalmente para apoiar a realização em Portugal de grandes eventos internacionais", tendo recebido "um número considerável de candidaturas".

"O montante global de apoio solicitado ultrapassa largamente o valor da sua dotação. Esta situação conduziu à necessidade do seu reforço orçamental e, consequentemente, a um maior período temporal para a avaliação das candidaturas submetidas", refere a nota da Turismo de Portugal.

A organização do Rali de Portugal cancelou a especial em Vila Nova de Gaia, por, segundo o Automóvel Club de Portugal (ACP), o município ter decidido "à última hora e devido a questões internas" não acolher a prova.

Veja ainda:

Em comunicado, o ACP deu conta da retirada da 'Gaia Street Stage' do programa da sétima etapa do campeonato do mundo de ralis (WRC), prevista para 01 de junho, nas 14.ª e 15.ª especiais cronometradas, ficando o evento reduzido a 18 especiais cronometradas.

Contactada pela Lusa, a Câmara de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, esclareceu ao início da tarde que decidiu não realizar a 'Gaia Street Stage' devido à "indefinição com a comparticipação financeira".

"Tal decisão prende-se, essencialmente, com a indefinição relativa à comparticipação financeira constante da candidatura, que, em dezembro de 2018, juntamente com outros municípios, esta Câmara Municipal apresentou aos fundos do Turismo de Portugal", esclareceu a autarquia liderada pelo executivo PS de Eduardo Vítor Rodrigues e na qual é vereador do Desporto José Guilherme Aguiar.

A resposta escrita da Câmara de Gaia também indicava que "a decisão de não participar na realização deste evento" foi "particularmente difícil", lembrando que "há alguns meses aceitou com entusiasmo a proposta de integração na prova".

A autarquia acrescentou, ainda, que "esta demora resultou no facto de apenas no decorrer desta semana" ter sido dado "conhecimento - ainda não oficializado - de que a verba seria substancialmente inferior ao inicialmente previsto expectável".

"Obrigaria a um esforço financeiro do município na ordem dos 600 mil euros", conclui a Câmara de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.

Por sua vez, a Turismo de Portugal, na resposta rececionada pela Lusa ao início da noite, sem nunca se referir à Câmara de Gaia ou ao ACP, bem como a qualquer outra entidade, aponta que "os montantes de apoio a cada uma das candidaturas são definidos levando em conta as despesas apresentadas bem como a avaliação do impacto turístico nacional dos eventos que as constituem".

A 53.ª edição do Rali de Portugal vai ser disputada entre 30 de maio e 02 de junho.

A cidade do Porto acolheu a especial citadina em 2016 e 2018, enquanto Braga recebeu idêntica classificativa em 2017.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo