Série 1 de tração dianteira permitirá à BMW poupar 660 euros por carro

Nova geração do Série 1 terá foco no espaço e versatilidade e não no comportamento. Chega em outubro

0 aos 100 11/03/2019 Noticias

É o senhor que se segue na renovação da gama da BMW. O novo Série 1, com o nome de código F40, será lançado em outubro, semanas depois da sua apresentação no Salão de Frankfurt.

A maior diferença do Série 1 F40, o nome de código da nova geração (a terceira, tudo o resto foram atualizações), é a passagem da atual plataforma de tração traseira para uma de tração dianteira, a mesma utilizada nos X1, X2 e Série 2 Active e Gran Tourer, e que recebe o nome de FAAR (Frontantriebsarchitektur).

Citando estudos efetuados pela marca bávara, a Autocar diz que os clientes preferem um modelo mais espaçoso e com interior mais confortável, em detrimento do prazer de condução.

Por outro lado (certamente o mais importante), a mudança permitirá, segundo estimativas da BMW, poupar na ordem dos 660 euros por cada unidade produzida. Além disso, a nova plataforma possibilitará uma economia de escala, partilhando componentes com mais modelos, nomeadamente com o Mini Countryman, BMW X1e X2. Com cerca de 202.000 unidades do Série 1 vendidas em 2017, a redução do custo por unidade permitirá à BMW uma poupança de algo como 1,3 milhões de euros por ano.

Segundo uma fuga de informação, sabe-se que o novo Série 1 terá na base da gama o 118i, animado por um 1.5 de três cilindros com 140 cv. Acima estarão os 120i, 125i e 130i com um 2.0 de quatro cilindros de 190 cv, 224 e 265 cv, respetivamente. No topo estará o M130i com 305 cv extraídos de um 2.0 de quatro cilindros, com tração integral xDrive.

Veja ainda:

Quanto a Diesel, haverá um 2.0 de quatro cilindros para o 118d, 120d e M135d xDrive, com 150, 190 e 230 cv, respetivamente. Para já, desconhece-se sobre o lançamento de versões 116i e 116d. A confirmar-se serão lançadas à posteriori.

O novo Série 1 estará disponível apenas com o formato hatchback de cinco portas. Os derivativos passam pelo estreante Série 2 Gran Coupé e pela nova geração do monovolume Série 2 Active Tourer.

Em 2020, a gama será reforçada com uma versão híbrida Plug-in, o 125xe, equipado com um 1.5 de três cilindros com 140 cv e um elétrico de 88 cv, para uma potência combinada de 228 cv. As baterias de 11.6 kWh de capacidade permitem ter até 50 km de autonomia em modo elétrico.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Teste ao Usado. Mercedes-Benz CLA Shooting Brake 180d AMG: Fazer tudo bem não é para todos...