Novo M5 foi originalmente de tração traseira

Mas no final, “a tração às quatro rodas era a única opção”

Miguel Costa 16/11/2017 Noticias

A BMW revelou que, durante os primeiros estágios de desenvolvimento da nova geração do M5 (F90), o primeiro de tração às quatro rodas, experimentou a tração traseira, como os seus antecessores.

A berlina desportiva, feita com base no Série 5 de última geração (G30), está equipado, pela primeira vez, com um sistema de tração integral M xDrive. Além do modo 4WD, existe um modo 4WD Sport e um modo que permite mudar para tração traseira.

Segundo o vice-presidente da divisão M da BMW, Dirk Hacker, o primeiro protótipo do M5 (geração F90) era na verdade de tração traseira. No entanto, devido à potência debitada pelo V8 biturbo de 4,4 litros, a tração traseira simplesmente não era a opção mais inteligente para levar à produção.

"[RWD] era o caminho natural e histórico a seguir - até percebemos que estávamos além dos limites da aceleração longitudinal. A tração nas quatro rodas era a única opção", explicou Hacker à Autocar.

Mais, a utilização do sistema xDrive permite ao novo M5 ser “mais rápido em curva e mais seguro a alta velocidade”, aproximando-se de um verdadeiro modelo de competição para estrada.

A adopção da tração às quatro rodas no novo M5 segue uma tendência entre os desportivos. Foi a solução utilizada pela Mercedes-AMG para o melhor desempenho do E63 S, e histórica no caso da Audi RS6 Avant.

Esta é a forma mais eficiente para o M5 F90 colocar no asfalto os 600cv de potência, que deverão subir para números próximos dos 650cv em futuras edições especiais, já confirmadas.

Desta forma, esta berlina desportiva acelera dos 0 aos 100 km/h em 3,4 segundos, dos 0 aos 200 km/h em 11,1 segundos. A velocidade máxima está limitada a 250 km/h, embora possa ser desbloqueada, em opção, para os 280 km/h.

Deixe o seu comentário