GP da Bélgica: acidente vai sair (muito) caro às equipas

Saiba quanto terá de ser gasto para que os carros estejam prontos para Monza

0 aos 100 27/08/2018 Desporto

1,5 milhões de euros. Esta é a fatura que vai custar às equipas de Fórmula 1 que viram os seus pilotos envolvidos na “carambola” da primeira curva do Grande Prémio da Bélgica.

O aparatoso acidente, que teve como ponto alto o “voo” de Fernando Alonso, envolveu nada menos que seis pilotos. Os danos vão obrigar as respetivas equipas a desembolsar muitos milhões para reparar os estragos a tempo do Grande Prémio de Itália, já no próximo domingo.

Segundo o jornal As, a maior fatura vai para a McLaren, que terá de gastar 693,675 euros para recuperar o monolugar “voador” de Fernando Alonso, que sofreu estragos nas asas dianteira e traseira, bem como no bargeboard, suspensões, jantes, pneus e no fundo plano.

Relacionadas:

Quanto à Renault, a formação francesa terá de gastar 223,980 euros com Nico Hulkenberg - o piloto de 31 anos foi quem despoletou a situação -, ao passo que a Mercedes tem à espera uma fatura de 190,560 euros para reparar o monolugar de Valtteri Bottas, que atingiu o Williams de Sergey Sirotkin por trás, danificando a sua asa dianteira, as jantes e os pneus. Refira-se que Bottas foi o único dos seis pilotos que teve o carro danificado a terminar a corrida (partindo de 17.º e terminando em quarto).

Charles Leclerc também foi um dos grandes envolvidos no acidente, com o Sauber do piloto monegasco a ficar com asa traseira, suspensões, jantes e halo danificados. 137.330 euros é o que a equipa tem de gastar para reparar o veículo.

Por fim, a Ferrari. Sebastian Vettel venceu o Grande Prémio sem mácula, mas Kimi Raikkönen teve de abandonar depois da colisão com Daniel Ricciardo. O finlandês ficou sem asa traseira, pneus e jantes e obriga a equipa a pagar 92.350 euros.

No total, a “carambola” da primeira curva em Spa-Francorchamps vai custar às equipas envolvidas mais de 1,5 milhões de euros.

 

Fatura dos danos sofridos no Grande Prémio da Bélgica:

Fernando Alonso: 805.200 dólares (693.675 euros)

Aileron dianteiro: 208.000 dólares

Aileron traseiro: 94.000 dólares

Bargeboard: 150.000 dólares

Suspensões 40.000 dólares

Jantes: 8.000 dólares

Pneus: 5.200 dólares

Fundo plano: 300.000 dólares

Daniel Ricciardo: 315.200 dólares (271.540 euros)

Aileron dianteiro: 208.000 dólares

Aileron traseiro: 94.000 dólares

Jantes: 8.000 dólares

Pneus: 5.200 dólares

Nico Hulkenberg: 261.200 dólares (224.980 euros)

Aileron dianteiro: 208.000 dólares

Suspensões: 40.000 dólares

Jantes: 8.000 dólares

Pneus: 5.200 dólares

Valtteri Bottas: 221.200 dólares (190.560 euros)

Aileron dianteiro: 208.000 dólares

Jantes: 8.000 dólares

Pneus: 5.200 dólares

Charles Leclerc: 159.410 dólares (137.330 euros)

Aileron traseiro: 94.000 dólares

Suspensões: 40.000 dólares

Jantes: 8.000 dólares

Halo: 17.410 dólares 

Kimi Raikkonen: 107.200 dólares (92.350 euros)

Aileron traseiro: 94.000 dólares

Pneus: 5.200 dólares

Jantes: 8.000 dólares

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Ensaio ao Renault Clio RS Line TCe 130 EDC: Faceta desportiva
DS 3 Crossback BlueHDi 100. A virtude de ser diferente