Oito utilitários que dizem adeus ao Diesel

Mudança de paradigma já se faz sentir, e logo no segmento mais vendido em Portugal

Luis Neves 02/07/2018 Noticias

A indústria automóvel está em profunda revolução e a maior “vítima” são os automóveis alimentados a gasóleo, cujas vendas vão continuar a cair, até ao seu desaparecimento.

A mudança de paradigma já se faz sentir e é potenciada por três razões distintas. A primeira passa pelas dúvidas dos clientes relativamente às vantagens dos Diesel e a transparência nos consumos e emissões, especialmente a partir do “DieselGate” da Volkswagen e também das suspeitas que têm recaído sobre outros fabricantes.

A progressiva introdução de regras mais exigentes, tanto através dos novos ciclos de testes como pela obrigação de cumprir limites de emissões progressivamente mais restritivos, obriga a um investimento elevado em tecnologia, o que encarece significativamente os modelos.

Este aumento de custos já é evidente no desaparecimento de motores Diesel de reduzida cilindrada, nomeadamente os 1.2 e 1.4 TDi ou os 1.4 HDi. Outros modelos simplesmente deixaram de ter motores Diesel. É o caso destes oito utilitários.

  1. Audi A1

Era algo anunciado e confirmou-se com a divulgação das primeiras informações: o mais pequeno dos Audi deixa cair os motores a gasóleo. A solução passa pelo 1.0 TFSi de 95cv. Chega no último trimestre do ano.

  1. DS 3

O luxuoso modelo urbano reduziu drasticamente a sua gama e, ao contrário, do Citroën C3 não adotou o novo motor 1.5 BlueHDi. Em qualquer caso, continua presente o excelente motor a gasolina 1.2 PureTech de 110cv, o que lhe permite uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 10,1 segundos, uma velocidade máxima de 194 km/h e um consumo médio de 5,2 litros/100 km. Está disponível a partir de 18.781 euros.

  1. Hyundai i20

A atualização do compacto da Hyundai chega este mês de julho e será acompanhada pelo desaparecimento de motorizações a gasóleo. A alternativa passa pelo motor a gasolina 1.0 T-GDi de 100cv. Acelera dos 0 aos 100 km/h em 10,9 segundos, atinge os 176 km/h e anuncia um consumo médio de 4,6 litros/100 km. Os preços arrancam nos 14.872 euros.

  1. Mazda 2

O utilitário nipónico ainda está disponível com o motor 1.5 SkyactivD com 105cv, mas não por muito tempo. Este motor será substituído por um novo motor SkyactivD de 1,8 litros, o que levará ao desaparecimento da oferta Diesel no mais pequeno dos Mazda.

Relacionadas:

A solução passa pelo motor atmosférico a gasolina Skyactiv-G de 90cv. Acelera de 0 aos 100 km/h em apenas 9,4 segundos, estabelece uma velocidade máxima de 183 km/h e um consumo médio de 4,5 litros/100 km. Os preços arrancam nos 16.978 euros.

  1. Opel Corsa

É outro dos modelos que se prepara para dizer adeus ao gasóleo, os populares CDTi. Em troca, propõe o 1.0 Turbo de 115cv, a partir de 17.870 euros.

  1. Skoda Fabia

É talvez a mais importante das alterações efetuadas na última atualização do utilitário checo: o fim dos motores Diesel. A alternativa é o 1.0 TSI de 95cv. Acelera em 10,6 segundos, regista uma velocidade máxima de 185 km/h e um consumo de 4,4 litros/100 km.

  1. Suzuki Swift

Antes contava com um motor diesel de origem Fiat (o conhecido 1.3 Multijet), agora só há motores a gasolina, entre os quais o Boosterjet 1.0 de 111cv. Acelera dos 0 aos 100 km/h em 10,6 segundos, atinge uma velocidade de 195 km/h e anuncia um consumo de 4,6 litros/100 km. Os preços arrancam nos 15.602 euros (inclui campanha de lançamento).

  1. Toyota Yaris

Como não poderia ser de outra forma na marca japonesa, os diesel despediram-se da gama Toyota e o Yaris foi um dos primeiros modelos a fazê-lo. Embora haja uma versão híbrida (a partir de 18.145 euros), destaque para o motor 1.5 a gasolina de 111cv. Não é mais barato que o híbrido (começa nos 18.840 euros), mas garante um desempenho ligeiramente melhor: 0 aos 100 km/h em 11 segundos, velocidade máxima de 175 km/h e um consumo de 5,1 litros/100 km (3,9 no híbrido).

Os próximos...

Renault Clio: ainda não está confirmado, mas a atualização à atual geração, que deverá surgir em outubro, deverá dizer o adeus aos motores Diesel, tal como acontecerá no Captur.

Peugeot 208: próxima geração, que deverá surgir em 2019, deverá abdicar, igualmente, dos motores Diesel.

Deixe o seu comentário

Pesquise aqui o seu futuro carro usado

Peugeot 508 2.0 HDi 160cv GT Line: Grande 'espada'
Ensaio ao Mazda3 1.8 Skyactiv-D 116cv Evolve: Direto ao topo